LUA - Os melhores revendedores do mundo estão aqui
Foto: Quer criar um negócio próprio? Descubra como!

Quer criar um negócio próprio? Descubra como!

De acordo com uma pesquisa patrocinada pelo Sebrae, a taxa do empreendedorismo brasileiro atingiu, em 2015, o ápice dos últimos 14 anos: 39,3%. Isso significa que, praticamente, 4 em cada 10 brasileiros adultos já estavam envolvidos em criar um negócio próprio.

Diante desses números, o resultado não poderia ser diferente e, em 2016, o empreendedorismo cresceu 26%. O brasileiro, por necessidade e por opção, está mais empreendedor do que nunca e essa pode ser a sua chance de entrar nessa onda.

Porém, para que tudo saia como deseja, o melhor é conhecer a situação a fundo e fazer um bom planejamento. Por isso, veja neste artigo tudo o que você deve saber para se tornar um empreendedor de sucesso!

Por que abrir um negócio próprio?

Seguir pelo caminho do empreendedorismo é uma tarefa que pode trazer muitas vantagens e pontos positivos para a sua vida — tanto no aspecto profissional quanto no pessoal. Ao reconhecer os efeitos de abrir um negócio próprio, é praticamente impossível não abraçar essa chance.

Se ainda tiver dúvidas se deve seguir por esse caminho, veja as principais vantagens que um empreendimento próprio oferece:

Contribui para complementar a renda

Diferentemente do que muita gente pensa, você não precisa escolher entre um emprego “tradicional” e um negócio próprio. Da mesma forma, não é necessário se dedicar exclusivamente a essa alternativa — afinal, o empreendimento é seu e você pode lidar com ele da maneira que parecer mais adequada.

Isso faz com que esse seja um caminho viável para complementação de renda. Graças às vendas obtidas, é possível incrementar o orçamento mensal da família e, com isso, cobrir gastos, necessidades ou realizar sonhos.

Ajuda a conseguir independência financeira

Complementar a renda é uma questão que está ligada diretamente à independência financeira. Com o dinheiro extra dá para fazer investimentos e buscar outras possibilidades ainda mais rentáveis.

Mesmo juntar para construir patrimônio já é uma forma de aumentar a segurança e robustez das finanças. Em caso de crise, perda de emprego ou qualquer imprevisto, há uma reserva financeira que te impede de ficar dependente de outras opções e pessoas.

Com isso, é possível conquistar a tão sonhada independência financeira, podendo usar o dinheiro da forma que achar melhor.

Oferece autonomia e liberdade de atuação

Ao criar um negócio próprio, você é o seu chefe. Com isso, a cobrança de resultados parte de você, assim como todas as decisões importantes para o crescimento e sucesso do empreendimento.

Ao mesmo tempo em que isso representa uma grande mudança de paradigma, também é sinônimo de liberdade e autonomia. Você está no controle e, assim, pode agir de acordo com seus princípios, interesses e objetivos.

Essa é uma vantagem que elimina aquela sensação de simplesmente seguir ordens e não poder fazer o que julga ser, de fato, o melhor.

Permite o seu crescimento sem fronteiras

É justamente essa liberdade que permite o crescimento sem limites. Ao trabalhar para alguém, é comum que haja limitações quanto aos cargos e o crescimento na carreira. Chega um momento em que, por melhor que você seja, não há mais para onde crescer.

Tendo o seu negócio, isso é diferente. Você poderá buscar sempre formas de inovação, bem como alcançar novas pessoas e obter resultados inéditos. Se tudo for feito do jeito certo, não precisa existir um limite para o quanto você e seu empreendimento podem crescer.

Dá a chance de gerar impactos no mercado

Como os limites são quebrados e há liberdade de atuação, é possível imprimir no mercado transformações significativas por meio do seu negócio.

Usar o seu empreendimento para apoiar um projeto social, por exemplo, é uma forma de promover essas mudanças. Inovar, alcançar resultados inéditos e abrir caminhos para outros empreendedores também entram nesse sentido.

Mesmo atender um cliente no exato momento em que ele precisa já é altamente transformador e contribui para imprimir sua marca no mundo.

Colabora para a sua realização pessoal

Somando a liberdade e a autonomia à capacidade de crescimento e de transformação, criar um negócio próprio é uma forma de se realizar pessoalmente.

Ao atuar com o que ama, o empreendedor se sente muito mais produtivo e satisfeito com o trabalho. Isso impacta positivamente todas as outras relações, já que pessoas realizadas são mais felizes e ficam mais satisfeitas com a própria vida.

Com isso, a satisfação que você tanto procura para ter motivação para acordar cedo e ir trabalhar pode estar, justamente, em possuir a sua própria empresa.

Permite se desafiar constantemente

Empreender não é para todo mundo e nem é um caminho simples. Surgem obstáculos e desafios no percurso, porém isso não é ruim. Na verdade, empreender trata-se da capacidade de ser continuamente desafiado, vencer os percalços e aprender com eles.

Ao decidir seguir por esse caminho autônomo e cheio de liberdade, é garantido que não sofrerá com o tédio. Suas decisões serão sempre importantes e você estará em constante aprendizado e desenvolvimento, tornando-se um profissional e uma pessoa melhor.

Quais são os primeiros passos para criar seu negócio?

Convencido das vantagens de criar seu negócio próprio, é fundamental reconhecer tudo o que precisa ser feito para formular um projeto de sucesso. Essa etapa garante que o investimento de tempo e de dinheiro seja produtivo.

Portanto, o ideal é se preparar para tomar decisões melhores e que vão te ajudar a se tornar um empreendedor bem-sucedido. Dentre os passos que precisam ser seguidos, estão:

Identifique uma necessidade de mercado

O maior propósito de um empreendimento é solucionar um problema ou atender a uma necessidade no momento em que aparece. Porém, não dá para resolver uma questão que você nem sequer sabe qual é, certo?

Por isso, é preciso começar reconhecendo uma necessidade de mercado. Procure entender o que, de fato, as pessoas querem comprar e como elas desejam fazê-lo.

Se reconhecer que há uma demanda por itens pessoais de vestuário, por exemplo, o seu negócio deve ser baseado nisso. A partir daí, você poderá definir o que será vendido.

Porém, fique atento: algumas demandas são muito específicas e sazonais, e basear seu empreendimento inteiro nisso não é o melhor caminho.

Conheça quem é o seu público

O próximo passo é reconhecer quem são as pessoas que comprarão em seu empreendimento. A ideia é traçar um perfil bastante completo desse consumidor de forma a compreender como ele se comporta.

Mapeie aspectos como idade, gênero (se for relevante), localização, necessidades, formas de consumo e assim por diante. A partir disso, fica mais fácil prever comportamentos e saber como agir.

Se o seu público é jovem, por exemplo, tanto a linguagem quanto a abordagem precisam ser dinâmicas e atuais para conquistá-los. Já se o público é refinado, a atuação precisa seguir essa característica.

Crie um nome de impacto

Na sequência, é hora de pensar em um nome de impacto para o seu negócio. É esse elemento que ajuda a construir uma marca forte, então pense com cuidado.

Procure ser original e criativo, mas também não se limite. Colocar o local de atuação no nome da marca, por exemplo, pode não ser o melhor caminho para um negócio que pretende se expandir.

Uma vez escolhido o nome, verifique no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) se ele já foi registrado. Se estiver disponível, não há o risco de ser acusado de plágio.

Cuide de toda a parte burocrática

E, por falar nessa etapa, é fundamental compreender a burocracia envolvida. Vale a pena ter um CNPJ para facilitar as coisas.

Para começar de forma descomplicada, você pode fazer o registro como Microempreendedor Individual (MEI). Isso garante o recolhimento de impostos e a total regularização da atuação.

Conforme o negócio for crescendo e tomando forma, será preciso se atentar a outras questões, como apuração tributária, obtenção de alvarás e assim por diante.

Calcule de quanto será o investimento

Abrir um negócio custa dinheiro e o ideal é reconhecer previamente o investimento necessário. Somente assim você consegue se preparar e, com isso, começar com o pé direito.

Quanto mais ambiciosos forem seus planos, como alugar um espaço e abrir uma loja física, maior deve ser o dinheiro disponível para essa fase inicial.

Além disso, não se esqueça do capital de giro, que é muito importante para que tudo continue funcionando.

Considere os negócios online

Muitos empreendedores ficam parados justamente no obstáculo financeiro. Estando desempregados ou mesmo sem dinheiro sobrando, criar um negócio próprio parece ser impossível.

Porém, os negócios online são um contraponto. Operando de maneira totalmente digital, exigem muito menos estrutura e geram poucos custos. Na maior parte das vezes, o investimento de tempo é o principal.

Segundo dados, o mercado virtual tem um crescimento anual acima dos 20%, mesmo em tempos de crise. Aproveitar essa tendência, portanto, é um jeito de conquistar a independência desejada sem precisar gastar muito.

Crie um bom plano de negócio

Depois de decidir como será o seu empreendimento, é fundamental colocar tudo no papel. Criar um plano de negócio é uma forma de estabelecer esse modelo que servirá como uma “receita”.

Defina, por exemplo, os objetivos de crescimento e os diferenciais em relação aos demais. Aproveite para estabelecer outros pontos, como a logística, caso seja necessário entregar o produto após a compra, o público a ser atingido e todas as questões operacionais.

Essa ferramenta trará segurança e facilidade na hora de atuação, além de oferecer maior profissionalismo.

Posso ter um negócio de revendas?

Caso esteja buscando uma opção conveniente, barata e com ótimas chances de sucesso, um negócio de revendas é um dos melhores caminhos. Com ele, você pode chegar mais longe em menos tempo, atingir um público maior e consolidar os resultados que tanto deseja.

Por isso, essa pode ser uma possibilidade promissora. Ao mesmo tempo, é preciso ter alguns cuidados com a estruturação do negócio. A tomada de decisão nesse momento inicial é indispensável para que, lá na frente, tudo saia como o esperado.

Veja algumas orientações para acertar ao optar por um negócio de revendas:

Avalie a confiança e o reconhecimento da marca

Na hora de revender produtos, é fundamental que a marca escolhida tenha a ver com o seu público e, principalmente, que ela seja reconhecida da maneira certa. Portanto, vale a pena investir em uma marca conhecida, de qualidade, confiança e tradição.

Assim, os possíveis clientes já terão um conhecimento prévio sobre os produtos e, com isso, terão maior interesse em adquiri-los. Inclusive, vale apostar nas marcas que você mesmo confia e usa. Isso transmite maior credibilidade e segurança na hora das vendas diretas.

O resultado? É muito mais fácil fechar negócios e os custos com todo o processo diminuem.

Não deixe de conhecer a qualidade dos itens

Ainda falando sobre confiança, para que o cliente tenha uma boa experiência é preciso que o item atenda — ou supere — as suas expectativas. Com isso, é fundamental avaliar a qualidade dos produtos antes de escolher uma ou outra marca.

Esse cuidado é necessário porque vender itens de baixa qualidade ajuda a afastar os clientes e compromete a sua reputação — mesmo não sendo você o responsável direto por eles.

Por isso, preocupe-se em sempre selecionar marcas com elementos que cumprem o que prometem e que criam boas experiências.

Analise qual é o mix de produtos

Também é importante observar o mix de produtos que cada opção de revenda oferece. O motivo é que os consumidores estão sempre em busca de novidades e, portanto, é fundamental que as encontrem em seu negócio.

Além disso, oferecer uma gama maior de itens garante que mais pessoas serão atingidas e, com isso, haverá um número maior de oportunidades viáveis de compra.

Dentro do seu nicho, aposte em uma empresa que possui diversificação. Desse modo, dá para contar com um mix completo, mas sem exagerar na quantidade.

Veja qual é a margem de lucro com a comissão

Outro ponto muito relevante a ser considerado é o quanto você ganhará por cada produto vendido. Isso depende de dois fatores: o preço do item e, principalmente, a margem de lucro.

Como o preço tende a ser fixo, foque-se em observar a margem oferecida pela comissão. Uma margem em torno de 30%, por exemplo, já pode ser vantajosa e garantir um retorno satisfatório para cada venda realizada.

Como cada marca opera com seus próprios parâmetros, não deixe de fazer comparações para saber onde é melhor investir.

Verifique as condições de investimento

O que também varia de uma empresa para outra é o conjunto de condições para investimento. Algumas exigem uma compra mínima e mesmo de um “kit iniciante”, no caso de demonstração de produtos.

Outras, por outro lado, não fazem grandes exigências. Basta selecionar os produtos desejados, vender e ganhar por aquilo que você, de fato, conseguir convencer os clientes a comprar.

Caso não queira ou não possa investir muito — ao menos no primeiro momento — o ideal é recorrer às marcas flexíveis, que não fazem grandes exigências, permitindo que sua empresa cresça com maior facilidade.

Crie uma loja com os produtos para revender

Todos esses passos ajudam a selecionar as marcas certas, mas você precisa criar uma estrutura para conseguir fazer as vendas. Aproveitando, justamente, a tendência dos negócios digitais, crie uma loja virtual com os produtos para revender.

Prefira utilizar uma plataforma online e fazer tudo por um aplicativo. Isso garante a divulgação facilitada da sua atuação de vendas, além de evitar que tenha que se preocupar pessoalmente com questões como métodos seguros de pagamento e proteção de dados.

Com uma plataforma do tipo, é possível colocar a sua loja no ar rapidamente com a ajuda do seu celular, além de fazer toda a gestão por meio do seu dispositivo.

Mantenha o controle do seu negócio de revenda

Por falar em gerenciamento, o controle do seu empreendimento é tarefa indispensável — e, no caso da revenda, isso é especialmente intenso.

Você precisa ficar atento a questões como: definir o prazo de pagamento dos clientes, combinar o prazo de entrega, cuidar do capital de giro, comprar alguns itens para pronta entrega e assim por diante.

Por isso, é fundamental acompanhar tudo de perto e garantir que o negócio esteja correndo da melhor maneira possível.

Como usar os canais de divulgação do mundo é digital?

Para obter resultados melhores, aproveite os canais de divulgação que estão disponíveis. Estando no mundo digital, as redes sociais são ótimos espaços para atrair mais pessoas e conseguir fechar um número maior de compras.

O brasileiro passa o maior tempo nas redes sociais em toda a América Latina, então não faltam oportunidades de atingir seu público. Porém, para ter sucesso com essa abordagem é preciso usar os recursos a seu favor.

Quer saber como? Então acompanhe nossas dicas:

Aposte nas redes sociais certas

Mais do que criar uma conta em cada rede social existente, é preciso focar naquelas em que há maior presença do seu público.

Com 2 bilhões de usuários e mais de 100 milhões de brasileiros usando a rede, o Facebook é praticamente obrigatório para chegar a seus clientes. Porém, não caia no erro de criar um perfil pessoal. Em vez disso, tenha uma página própria para empresas, para obter melhores resultados.

Outras redes também podem ser selecionadas, como o famoso Instagram e, é claro, o mensageiro WhatsApp. Assim, seus esforços devem estar focados nas redes mais utilizadas pelo seu público-alvo.

Saiba como se portar perante o público

Porém, não adianta estar nas redes certas se a sua atuação não é adequada. Portanto, tome cuidado com a forma como se comporta no ambiente online.

É fundamental adotar um tom próximo do público, mas que se mantenha profissional. Evite assuntos polêmicos, mantendo o foco em temas relevantes para o seu negócio.

Crie publicações com vídeos e imagens e divulgue os produtos de sua loja. Nos comentários e nas mensagens, aproveite para tirar dúvidas e interagir.

Invista no marketing de relacionamento e indicações

Por falar nisso, é fundamental ter como objetivo a aproximação com o cliente. Mais do que vender, a intenção deve ser a de construir um relacionamento que é frutífero tanto para quem vende quanto para quem compra.

Estimule, portanto, o engajamento, a participação e a colaboração das pessoas que acompanham suas redes sociais. Isso gera aproximação, confiança e, eventualmente, leva às compras.

Não abra mão, ainda, do marketing de indicação. Peça para que os clientes deixem resenhas sobre a experiência de compra e incentive o compartilhamento das suas publicações e dos links de sua loja e produtos.

Mantenha a consistência de atuação

Porém, não adianta usar as redes sociais uma vez por semana e achar que isso será o suficiente. Esses locais são muito dinâmicos e exigem presença constante, então você precisa ser consistente.

Faça publicações diárias nos momentos em que seu público está mais propenso a visualizar, curtir, comentar e interagir. Não adianta fazer publicações na madrugada durante a semana, mas a parte da manhã ou o fim do expediente podem ser horários de ouro!

Tenha atenção nisso e esteja sempre por perto para que seu negócio seja lembrado continuamente.

Use as publicações patrocinadas

Quando já estiver muito familiarizado com esses canais de divulgação, uma ótima opção consiste em usar as publicações patrocinadas. Mediante um pagamento, você poderá aumentar o público, ampliando o alcance da sua marca.

Isso exige bastante planejamento e um pouco de conhecimento, mas trará resultados incríveis. Graças a essa ajuda, será possível gerar um número crescente de oportunidades!

Integre online com offline

Embora sejam importantes, as redes sociais ainda devem estar integradas ao mundo offline. Para que isso seja viável, invista em criar um processo altamente integrado, favorecendo a experiência de compra.

Permita, por exemplo, que um cliente solicite uma demonstração de produto para, depois, comprar online. Ou, então, que ele possa fazer o pedido sem dificuldades pelo celular e recebê-lo pessoalmente.

Dessa forma, os canais contribuirão para ajudar o seu negócio a crescer, oferecendo segurança e novas possibilidades.

Acompanhe os resultados das suas ações

Outra grande vantagem das redes é que elas permitem um acompanhamento completo de resultados. Além de saber o número de curtidas e comentários, é possível entender o alcance de uma publicação, quantas pessoas clicaram no link e assim por diante.

Utilize isso a seu favor e comece a estudar os dados. Com esse acompanhamento de resultados, dá para saber o que faz mais sucesso e o que precisa ser adaptado.

A consequência é que o uso desses canais fica otimizado e o seu negócio pode, enfim, disparar rumo ao crescimento!

Depois de reconhecer as vantagens de criar um negócio próprio, siga os passos e considere ter uma revenda. Não se esqueça de usar as redes sociais e recorrer a uma plataforma online para criar a sua loja: é a opção mais conveniente para quem não quer investir muito, mas não deseja abrir mão do sucesso!

Gostou dessas dicas? Então compartilhe esse artigo em suas redes sociais e ajude seus amigos a darem também o primeiro passo!