LUA - Os melhores revendedores do mundo estão aqui
Foto: Precisando organizar finanças pessoais? Aprenda aqui!

Precisando organizar finanças pessoais? Aprenda aqui!

Com tantas responsabilidades e despesas diárias, às vezes fica difícil organizar finanças pessoais. Sem esse controle, diversos problemas podem surgir e afetar negativamente o seu dia a dia.

Além de você acabar gastando mais do que o necessário, a falta de cuidado com as finanças pode atrapalhar seus planos de economizar para investir em qualidade de vida, causar endividamento, afetar sua reserva financeira e planos familiares. E tem mais: esse cenário pode ser ainda pior durante crises econômicas.

Para ajudar a lidar com essas situações, preparamos este post com algumas práticas e ferramentas que você precisa conhecer para organizar suas finanças pessoais. Boa leitura!

Liste seus ganhos e despesas

O primeiro passo para se organizar financeiramente é descobrir quanto você ganha por mês, incluindo todas as fontes de renda (contratos fixos, rendas extras, investimentos).

Depois disso, liste todas as despesas para descobrir quais são os seus gastos fixos e variáveis. Primeiro, separe os fixos — aluguel, planos de saúde, seguro do carro, água e energia elétrica. Dessa forma, você terá uma noção do valor mínimo que precisará desembolsar mensalmente.

Em seguida, faça uma lista com os custos variáveis — refeições fora de casa, passeios, roupas e outros itens. Fazendo isso, você será capaz de visualizar qual é o total investido, em média, para quitar todas as contas do mês e manter o seu padrão de vida.

Analise seus gastos

Sabendo qual é o gasto mensal médio e o valor obtido por mês para pagar todas as contas, verifique todas as despesas. Caso esteja passando por dificuldades financeiras ou procurando formas de economizar e aumentar a reserva, esse é o momento de avaliar possíveis cortes.

Ao colocar tudo no papel e analisar com calma, você conseguirá identificar gastos desnecessários. Cancelar serviços que você não utiliza mais e abrir mão de itens supérfluos podem reduzir consideravelmente os custos mensais.

Faça um planejamento financeiro

Sabendo seus ganhos, despesas e pontos que podem ser trabalhados para economizar, crie um planejamento financeiro. Quando anotar a sua renda mensal, já desconte os valores comprometidos em cada categoria: aluguel, energia elétrica, água, plano de saúde, mensalidade, mercado etc.. Inclua também a média para os gastos extras, como compras e passeios.

Assim, você conseguirá visualizar quanto do rendimento familiar já fica comprometido e quanto está disponível para outros investimentos. Mantendo esse controle, todo mês você poderá avaliar a situação, readequar o orçamento, verificar se obteve êxito na redução de custos e outros fatores importantes para manter as finanças pessoais organizadas.

Poupe uma parte da renda mensal

Outra dica para ajudar na organização financeira é fixar um valor a ser guardado todo mês, que poderá ser investido ou utilizado para quitar dívidas inesperadas.

É preciso ser realista na hora de definir esse valor, afinal, se você fixar uma parcela muito grande do rendimento, pode acabar se prejudicando e não conseguindo guardar o valor que havia estabelecido.

Além disso, é importante considerá-lo como um pagamento obrigatório. Assim, você já terá consciência de que esse dinheiro estará indisponível, garantindo a economia e facilitando o controle financeiro.

Tenha sempre uma reserva

Ter uma reserva financeira é fundamental, uma vez que pode surgir algum problema que exija gastos maiores ou, até mesmo, uma ótima oportunidade de investimento ou aquisição, que exijam essa disponibilidade financeira.

Também é possível criar diversas reservas para diferentes objetivos e investir mensalmente, conforme o planejamento financeiro. Por exemplo: uma para imprevistos e outra para a viagem de fim de ano da família ou para trocar o carro.

Utilizando essas reservas financeiras em vez de parcelamentos ou empréstimos, você pode conseguir descontos e outras vantagens com os vendedores. Com o tempo e o aumento da reserva, uma opção interessante é aplicar o dinheiro em algum investimento e fazê-lo render, como ações, Tesouro Direito, CDB etc..

Evite as dívidas e o cartão de crédito

É normal fazer compras parceladas no cartão de crédito ou aquisições com financiamento. Porém, é preciso ter cuidado com os valores que precisarão ser quitados todos os meses. Ao utilizar as compras a crédito, é comum ter a falsa sensação de disponibilidade financeira.

Por mais que os parcelamentos baixos costumem ser atrativos, o acúmulo de parcelas pode dificultar os pagamentos e gerar o endividamento.

Ao deixar de pagar a fatura do cartão em dia, os juros cobrados são bastante elevados. Em outras situações, com a inadimplência de contas, o seu nome poderá ser incluído nos cadastros de devedores, gerando diversos problemas.

Por isso, para manter a organização, tome sempre cuidado com os compromissos financeiros que assumir. Assim, você evita o pagamento de juros e outras taxas ou a utilização precoce da reserva financeira, o que poderia prejudicar seus planos familiares.

Caso esteja endividado e não tenha condições de quitar todos os valores, priorize o pagamento das contas com juros mais altos e volte ao seu planejamento financeiro, buscando adequar o orçamento às necessidades financeiras para quitação dos débitos.

Dê preferência para pagamentos à vista

O pagamento à vista é uma ótima forma de economizar e manter o controle financeiro. Essa forma de pagamento costuma permitir que os vendedores negociem uma boa margem de desconto, além de evitar surpresas com faturas altas no cartão de crédito.

Como é necessário dispor do valor total da aquisição em apenas uma parcela, você também pensará melhor sobre a viabilidade do negócio e a real necessidade desse gasto. Nesses casos, os pagamentos à vista auxiliam na hora de evitar compras impulsivas, que geram despesas desnecessárias e, muitas vezes, arrependimento.

Tenha uma planilha ou aplicativo para organizar finanças pessoais

Uma das melhores formas de se organizar financeiramente é contar com uma planilha ou um aplicativo. Anotando todos os seus ganhos e despesas em uma dessas ferramentas, você terá um controle maior sobre as suas finanças e poderá identificar mais facilmente os gastos que precisam ser evitados.

Seguindo essas dicas, você não terá maiores problemas quando o assunto for organizar suas finanças. Em caso de imprevistos, você vai conseguir lidar com a situação e resolvê-la da melhor forma, sem comprometer o orçamento familiar.

E então, gostou deste post? Agora que você já sabe como organizar finanças pessoais, aproveite para conhecer 7 dicas de organização financeira para revendedores!